Con el triunfo en Guimaraes, Ricardo Sá Pinto recobra el crédito semi-perdido y podrá encarar con tranquilidad el futuro...

Sporting de Braga venció -con claridad y justicia- en Guimaraes. Vitória fue inferior. Las cosas como son. Y jugó mal. El Braga supo aprovechar la flaca moral de los rivales, al marcar relativamente pronto y luego aprovechar el juego de contragolpes para buscar el segundo gol que acabaría por llegar en las postrimerías del encuentro.
Aunque la tabla clasificatoria diga otra cosa, el Braga fue mejor; es mejor en realidad que el Vitória, solo que en la Liga, los de Sá Pinto llevan hechas demasiadas asneiras en lo que llevamos de campeonato.
Con este triunfo a domicilio, Sporting de Braga no deja que el Vitória de Guimaraes se le escape en posiciones a las que precisamente el Braga aspira. Si hubiese ganado el domingo anterior al Famalicâo, el Braga habría rentabilizado más estos tres puntos. No ha sido así y valen lo que valen... pero al menos son 3 puntos importantes sin duda en la escalada demasiado lenta que el SCB está llevando a cabo en la tabla de la clasificación.

O encontro iniciou-se com um SC Braga muito ofensivo, assumindo praticamente as despesas do jogo. Logo aos 5 minutos, Sequeira efetuou um cruzamento tenso para Paulinho que cabeceou ao lado da baliza defendida por Douglas. Quatro minutos depois, Galeno serviu Ricardo Horta na perfeição, mas o camisola 21 não conseguiu desviar a bola de Douglas.
Os Gverreiros do Minho de tudo faziam para chegar ao golo e, tal como diz o provérbio, “quem procura, sempre alcança”. Aos 25’, Esgaio efetuou um cruzamento perfeito para Paulinho que atirou uma bomba para o fundo das redes – um momento que fez a delícia dos milhares de adeptos arsenalistas que marcaram presença no D. Afonso Henriques.
À passagem do minuto 38, Al Musrati entrou de sola sobre Ricardo Horta e o árbitro Hugo Miguel sancionou apenas um cartão amarelo ao contrário do que ditam as leis. Até ao final da primeira parte, não existiram mais oportunidades de golos, mas é de destacar a excelente organização defensiva da formação liderada por Ricardo Sá Pinto que não permitiu qualquer lance de perigo do conjunto vitoriano.
 No segundo tempo, a primeira ameaça voltou a ser vermelha e branca. Aos 51’, Ricardo Horta atirou para uma defesa segura do guardião do Vitória SC.
Apenas aos 64 minutos, o conjunto vitoriano chegou com perigo à baliza arsenalista. Lucas Evangelista cabeceou para uma boa defesa de Eduardo.
Sete minutos depois, Galeno disparou um tiro do meio da rua para nova explosão de alegria no D. Afonso Henriques dos Gverreiros do Minho – mais um grande momento do avançado do SC Braga esta temporada. Até ao final da partida, os Gverreiros controlaram a partida e não deixaram fugir a vitória no terreno do seu rival.
Ricardo Sá Pinto, em declarações após a vitória no terreno do Vitória SC, mostrou-se radiante com o comportamento dos seus jogadores ao longo dos 90 minutos e afirmou que o conjunto arsenalista conquistou um triunfo de forma categórica. O técnico dos Gverreiros do Minho sublinhou que o apoio dos adeptos do SC Braga deu uma grande crença à sua equipa para conquistar os três pontos no D. Afonso Henriques. 
Análise da partida: “Conseguimos a vitória com grande mérito, qualidade de jogo e organização, fomos melhores em tudo, soubemos jogar o jogo que tínhamos de jogar e soubemos ganhar. Qualquer clube, jogadores, adeptos e equipa técnica vivem de vitórias, ajuda a que o estado de espírito seja positivo. Esta massa associativa veio apoiar em grande número, deu uma demonstração de crença. O dérbi do Minho é um jogo muito especial, fundamental para os nossos adeptos ao longo da época, esta é uma vitória contra um adversário que aspira ir às competições europeias, precisávamos dos três pontos para começar a nossa escalada e chegar à posição que queremos, conquistámos a vitória de forma categórica” 
Ricardo Sá Pinto não fez alterações no onze para este jogo: “Mantive o onze porque sei que nada é feito por acaso, temos o controlo daquilo que fazemos, sabemos o que fazemos, e quando o podemos fazer. Dou os parabéns ao meu staff, a equipa técnica, pela forma como controlam o treino, os tempos de recuperação dos jogadores, a intensidade, especialmente quando fazemos jogos de três em três dias, é realmente extraordinário a equipa dar resposta. Tenho um plantel com jogadores que podem jogar, mas não jogaram, manter esta dinâmica e estabilidade impunha-se”.
Parte de los adeptos del Braga, este domingo en Guimaraes